quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Jonas e o Psiquiatra

Esquete com os atores Melissa Malard e Juninho



Por Cris Araújo

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dicas de Interpretação




SEGUE OS ELEMENTOS BÁSICOS DA INTERPRETAÇÃO, PARA INICIANTES AO TEATRO.

1- TER DOMÍNIO DO TEXTO

2- SABER IDENTIFICAR A COMPOSIÇÃO DA PERSONAGEM E ANALISAR QUAIS AS REAÇÕES E AÇÕES DELE NA RELAÇÃO COM OS OUTROS.

3- MANTER A COMPOSIÇÃO DESSE PERSONAGEM ATÉ O FIM DA APRESENTAÇÃO.

4- MANTER A CONCENTRAÇÃO ATÉ O FIM DA PEÇA.

5- DEIXAR O CORPO PRONTO PARA QUE A VOZ POSSA FLUIR SEM BLOQUEIOS OU INIBIÇÕES.

6- SABER USAR A VOZ COMO SE FOSSE UM DIAPASÃO DE MÚSICA, VARIANDO A TONALIDADE E INTENSIDADE DE ACORDO COM AS INFLEXÕES CORRESPONDENTES AS EMOÇÕES.

7- PROJETAR A VOZ AO INVÉS DE GRITAR, POIS O GRITO MUITO ALTO DISTORCE A COMUNICAÇÃO, E A IMPOSTAÇÃO TORNA MAIS AUDÍVEL E NATURAL A VOZ.

8- ARTICULAR BEM AS PALAVRAS PRONUNCIANDO SÍLABAS POR SÍLABAS DE FORMA NATURAL PARA NÃO PARECER ARTIFICIAL OU ANTI-NATURAL.

9- SABER CONTRACENAR ENQUANTO O OUTRO FALA PRESTANDO ATENÇÃO PARA DAR IDÉIA DE QUE O OUTRO VAI NOS DAR UM CONTRAPONTO PARA AS NOSSAS REAÇÕES.

10- EVITAR EXCESSO DE CARICATURA PARA NÃO ULTRAPASSAR O LIMITE DO PERSONAGEM E NÃO DESCARACTERIZÁ-LO.

11- ANALISAR O MEIO SOCIAL, GEOGRÁFICO, CULTURAL E OUTROS ATRIBUTOS EM QUE O PERSONAGEM VAI AGIR E SABER A LINHA DE SUA COMPOSIÇÃO TIPOLÓGICA.

12- TER CONSCIÊNCIA DE QUE O TEATRO NÃO É UM CAMPO PARA VAIDADES PESSOAIS E O COLETIVO DEVE PREDOMINAR SOBRE O INDIVIDUAL.

13- MANTER A FÉ CÊNICA NO QUE O PERSONAGEM ACREDITA, ESTUDAR CUIDADOSAMENTE AS INTENÇÕES DO SEU PERSONAGEM (NA RELAÇÃO COM O CONTEXTO DA PEÇA), SENTIR PRAZER E COMPROMISSO POR ESSE MOMENTO "MÁGICO".

(A imagem é para pretigiar minha querida amiga - a atriz Flávia Tavares - em cena na peça "Adriana, um convite para lucidez")
Por Cris Araújo

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Peça "Adolescentes"

Uma peça que o Senhor nos deu sobre a vida sentimental dos nossos jovens. Ô área difícil, né? Mas EM CRISTO é possível obter vitória. Uma vitória real, que permanece.
Que sejamos "felizes para sempre"!



Por Cris Araújo

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Artigo sobre teatro


MANIFESTO PRÓ TEATRO (com comentários pessoais)

Todos os dias do ano deveríamos festejar o dia mundial do teatro, porque nestes vinte séculos sempre ficou acesa a sua chama em algum canto da terra. O teatro sempre teve também a sua morte decretada, sobretudo com o surgimento do cinema, da televisão e agora com os meios digitais. A tecnologia invadiu os cenários e sufocou a dimensão humana. Tentou-se um teatro plástico, perto da pintura em movimento, e deixou-se de lado a palavra. Houve obras sem palavras, ou sem luz, ou sem atores, somente fantoches e bonecos instalados em cena, com múltiplos efeitos e luzes. A tecnologia tentou converter o teatro em fogos artificiais ou em espetáculos de feiras. Hoje assistimos a volta do ator na frente do espectador. Hoje presenciamos o retorno da palavra no palco. O teatro renunciou a comunicação de massa e reconheceu os seus próprios limites, impostos pela presença de dois seres defrontes um do outro, que se comunicam com sentimentos, emoções, sonhos e esperanças. A arte cênica está deixando de contar histórias para debater idéias. O teatro comove, ilumina, incomoda, perturba, exalta, revela, provoca, transgride. É uma conversação compartilhada com a sociedade. O teatro é a primeira das artes a se confrontar com o nada, as sombras, as luzes e a vida. O teatro é um fato vivo que se consome a si mesmo enquanto produção, mas sempre renasce das cinzas. É uma comunicação mágica na qual todas as pessoas dão e recebem alguma coisa que as transformam. O teatro reflete a angústia existencial do homem e vasculha a condição humana. Por meio do teatro, não falam seus criadores e sim a sociedade do seu tempo. O teatro tem inimigos visíveis: a ausência de verdadeira educação artística para as crianças, o que impede que estas o descubram e gozem de seus benefícios; a pobreza que invade o mundo, distanciando espectadores das poltronas, ora vazias; e como maior algoz, a indiferença e o desprezo dos governos que deveriam promovê-lo, com critérios mais democráticos. No teatro falaram os deuses e os homens, mas agora o homem fala para outros homens (mas Deus fala através dos homens. ministros representando sua nação - a celestial - vem reinar sobre as artes, representando o único Deus verdadeiro!). Por isso, o teatro tem que ser maior e melhor que a vida mesmo. O teatro é um ato de fé no valor de uma palavra sensata, num mundo demente ( levando luz e verdade a um mundo que vive em trevas). É um ato de fé nos seres humanos que são responsáveis pelo seu destino (não deixa de ser, se considerarmos o livre arbítrio. fé nos seres humanos acredito que seja olhar sob a ótica de um Pai que acredita neles e os enxerga como filhos em potencial). O teatro tem que ser vivido para se entender o que está nos acontecendo, para transmitir a dor que paira no ar, mas também para vislumbrar um raio de esperança (Jesus, a esperança do mundo) no caos e pesadelo cotidiano.
Vivam os que oficiam o ritual teatral!
Viva o teatro!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Nada Além do Sangue

Mais uma esquete do nosso grupo, com direito a participações especiais.A filmagem está amadora, demora um pouco a começar a cena, mas dá pra ver.Que possamos sempre nos lavar neste sangue purificador, o sangue do Cordeiro de Deus."O verdadeiro limpo não é o que nunca se sujou, mas sim o que se limpa constantemente". Jesus te abençoe.




Por Cris Araújo

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Imperdível!



Convite especial de uma querida amiga, a bailarina Paula Davis, integrante do Catavento Dança e Pesquisa.

"A gente não poderia deixar de convidar vocês todos pra esse mega evento que vai rolar em agosto pra celebrar o lançamento do "O Livro do Som do Céu", com todo o conteúdo do debate sobre música cristã que rolou durante o Som do Céu 2009 e contou com a presença de João Alexandre, Jorge Camargo, Aristeu Pires, Nelson Bomilcar, entre muitos outros.Dentre tanta gente bacana, nós estaremos lá apresentando o nosso trabalho "Ventaneio"!
Uma programação super especial das 17h às 21h!E agora por apenas R$ 25,00 você:
assiste 4 shows musicais+ assiste a apresentação do espetáculo "Ventaneio" do Catavento+ participa de um super coquetel de lançamento do livro e ainda pode levar pra casa o booklet (livro + cd) comemorativo da 25º edição do Som do Céu de R$ 25,00 por apenas R$ 15,00!!!Isso tudo, fora o sorteio de brindes! É bom demais da conta!Os ingressos são super limitados e podem ser adquiridos da seguinte forma: você deposita o valor na conta da MPC (Banco Itaú - ag. 0084; c.c. 24901-0) e manda o comprovante do depósito via fax (31-3492-1001) ou email (mpc@mpc.org.br). A venda de ingressos na bilheteria do teatro no dia do show está sujeita à disponibilidade de ingressos. Corra pra não perder! Quem puder estar por lá, certamente não vai se arrepender!!! Bjo pra todos!!!"

Por Cris Araújo

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Encontrart 2009 - testemunho


No Encontrart do ano passado, quando estava me despedindo do Caíque - líder do Jeová Nissi - ele virou pra mim e disse: "Cris... Por que você não dá aula?". E foi com coração aberto que acolhi aquela palavra. Comecei a estudar teatro, pesquisar bastante e... um ano depois, a convite do mesmo abençoado, fui professora do Encontrart! Que privilégio gente! Foi uma experiência maravilhosa. Ministrei Jogos Teatrais e Deus me honrou muito. Fiz parte de um time de feras, professores que fazem teatro há muitos anos... Caramba! Confesso que tinha vez que eu me perguntava: POR QUE EU? Mas queridos... Quando Deus escolhe alguém Ele faz. Se Deus te confiar algo, não pergunta não! Encara o desafio! E foi assim que abracei esse convite tão especial. E Deus supriu tudo, de maneira incrível. Vivenciei situações únicas com o Senhor. Das tantas áreas nas quais fui tratada, posso destacar que aprendi a depender da graça e misericórdia de Deus, aprendi a confiar em Sua capacitação, "tô aprendendo" a não ser tão ansiosa, aprendi que - não importa a circunstância - orar muda TUDO e tudo flui melhor, aprendi que quando damos um passo Deus abre o mar... " Age, que o Espírito Santo reage", né vaso? Tô aprendendo...Rsrs... Conheci cada pessoa especial... Alunos cheios de unção, tão humildes, carinhosos, que me acolheram com tanto respeito. Fui muito abençoada nesse sentido. Até hoje as manifestações de carinho tem chegado em meu e-mail e os frutos estão vindo... Mas o mais importante foi ter sido usada como canal de bênção na vida das pessoas e ter feito parte desta história tão linda... Ter ajudado, de alguma forma, a preparar uma geração de ministros excelentes e cheios de fogo e poder! Eu fico sem palavras sabe. Com a fidelidade do Senhor, com o cumprimento das promessas Dele em minha vida... Só posso agradecer a Ele e a cada um que me apoiou. A minha mãe maravilhosa que entendeu meu chamado e paga esse preço comigo, sem medir esforços. O maior ministério dela é me impulsionar, acreditar e incentivar. Brinco que ela se torna minhas asas, quando eu mesma desisto de voar... Ao meu pastor amado, que sempre apóia nosso grupo de teatro, sempre investe e semeia em artes, sempre nos faz enxergar mais longe. Asas nos pés e excelência ao nosso Deus! Graças dou pela vida dos meus pastores(a Zana não fica atrás). Agradeço minhas amigas-irmãs-lideradas, Josi e Mel, que são como "Arão e Hur", segurando minhas mãos quando estou cansada, sempre acreditando na visão que Deus confiou a nós. Eu não teria chegado aqui sem vocês. Obrigada pelo incentivo e amor. Lógico, agradeço também ao Caíque. Esse homem de Deus que acreditou em mim e me deu essa oportunidade maravilhosa. Seu ministério mudou minha vida, minha visão de Reino, meu entendimento de artes, tudo! Jamais fui a mesma depois que conheci vocês. Quero honrar o Jeová Nissi, como pioneiro de muitos ministérios desbravadores que se levantarão para impactar as nações. São fruto de vocês! Obrigada! Mil vezes obrigada!
E que venha 2010!!!


Por Cris Araújo

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Elegância matutina

Clipe de um cantor israelense.
Muito show. "Simples" e excelente.
Gosto de coisas assim!
Este blog dá espaço para qualquer manifestação artística que seja louvável, que nos inspire a fazer um teatro melhor. Acreditamos que dom e talento só o Deus Criador pode dar. Além disso, o vídeo não deixa de ser bem teatral...

" E ela luta por sua vida
Enquanto coloca seu casaco
E ela luta por sua vida no trem
Ela olha para a chuva
Enquanto ela cai
E ela luta por sua vida
Enquanto vai a uma loja
Onde as pessoas são prazeirosamente estranhas
E contando o troco
E ela vai ...
Ninguém sabe"

E ela luta para sobreviver em um mundo sem esperança...




Por Cris Araújo

terça-feira, 30 de junho de 2009

Encontrart 2009 - Encontrei-me com o Rei



Genteeee! Paz!
Mais do que esperado vim trazer ótimas notícias do Rei. Sim. Ele estava lá a todo tempo me ensinando e usando para que a glória Dele crescesse ainda mais. Deus é tremendo. Não sabe do que estou falando? OPs. É tanta novidade de vida que nem te situei, né?
Estou trazendo notícias do maior big evento de teatro e dança do Planeta Terra. O Encontrart. Evento esse que nasceu no trono do Pai para espalhar arte por todos os ministérios do mundo inteiro e para arrecadar fundos para o Projeto Tenho Fome que situa em Angola. O pessoal é incrível. É bom estar fazendo parte disso. Glória a DEUS.

Pronto! Já ciente do que estou falando... Devo lhe contar as maravilhas que aconteceu por lá. Primeiro, adquiri um crescimento repentino de DEUS. hahahaha Fui sozinha pro lugar. E às vezes, DEUS nos quer tratar justamente nesses pontos. Pórém, nunca me senti sozinha. Fiz amizades do SP,RJ, SC,MS, PE, DF, e por aí vai... Criamos um elo muito bacana. Deus é bom. Em nenhum momento me senti sozinha. Deus faz detalhes se tornarem gigantes. É ANO DE ROMPER!

Além do renovo espiritual Muita técnica durante o dia e muita adoração à noite. Esvaziei-me de mim mesma. Eita redudância. Mas é isso, mesmo. Tenho licença poética para tal... hehehehehe

Bom, falando no conhecimento adquirido... Ah! Já ouviu falar de Biomecânica???Nem eu tinha. É simplesmente, o máximo para o teatro. Você simplesmente muda o conceito de espectador e, em cada peça, você já começa a fazer uma análise crítica biomecanicamente falando. É muito interessante. Biomecânica é um conceito criado pelo russo Meyerhold no teatro acerca de movimentos humanos.O professor Bruno Garcia (paulista), quem ministrou o conhecimento de Biomecânica disse que são pouquíssimas pessoas no Brasil que sabem essa técnica. Razão pela qual, a matéria resultou em pedra preciosa em minhas mãos. hahahahahaaha Agende uma oficina conosco!Irei falar sobre isso com mais detalhes em outro encontro nosso. =)

No mais, tive aula de corpo como canal com o Professor Plínio Perrú, cara bacana de Brasília que nos fez entender a tal da partidura musical usando o nosso corpo, aulas de concentração, ritmo, diafragma, entre outras coisitas más... Ele me ensinou que DEUS é criador e o ser humano é criativo! =)

Aprendi a fazer máscara de comédia del arte com a Clown "profissa" Elisabeth Monteiro. Carioca experta! Uhuhuuuuuuuuu muito legal! hahahah Muito "maneiro" como diz a mesma.Além da máscara aprendi a essência do teatro com o nascimento da Comédia del arte. Muito rica a história... Pessoas itinerantes que largavam tudo, família, sonhos e projetos pessoais para espalhar alegria em lugarejos da Itália e França. Um dia eu chego lá. heheheh

Vivendo e aprendendo... Ah e as aulas de Grotowski... Com o professor chileno Fabian Padilla(um doce)... Além do espanhol, aprendi que a emoção do personagem tem que ser vivida para expressar e comunicar algo. Sem artifícios e figurinos. O ator vive o personagem. Se você quiser viver uma situação de raiva, você não usaria da memória emotiva como acontece na visão de Stanislavski.Seu processo de ensaio desenvolvia exercícios que levavam ao pleno controle de nossos corpos e muita energia. Nuhhhhhh! Enfim, mais uma peça do quebra-cabeça interpretacional.

Gostaria de finalizar com a seguinte frase: Conhecimento é poder! E poder é a faculdade para fazer beem-feito.

Foi uma experiência frutífera e creio que foi um divisor de águas pro meu Ministério. Vamos parar de sermos medíocres. Sim! Sabe o que significa ser medíocre!?
É ser mediano, morno. Se é para DEUS, que saia excelente!

Renovada!

Melissa Malard.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

terça-feira, 9 de junho de 2009

Na ponta --- letra p


..................................................................................
Po-Pr

Porão. Parte inferior do palco. Nos teatros antigos havia alçapões. PORÃO: Parte da caixa cênica situada abaixo do palco, para movimentação de maquinaria cênica ou como recurso cenográfico.

Proscênio. Um avanço do palco, além da boca de cena, que se projeta para a platéia. Seu limite, comumente em forma de arco, é a ribalta. O proscênio, tem a largura mínima, ou pouco mais, das rampas ou degraus laterais que dão acesso ao palco a partir da platéia.V. tb. Palco italiano.

..................................................................................

God bless,
Melissa Malard.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Evangeliquês

Pensa nisso...



Por Cris Araújo

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Viva o Clown!

Mês passado fiz uma oficina de Clown (Palhaço) MUITO boa. Quem ministrou foi Pepe Nunez, um palhaço espanhol que mora há algum tempo no Brasil e tem uma companhia em Florianópolis. Foi muito desafiador, fiz sozinha, sem meu grupo... Mas valeu muito a pena! É um trabalho belíssimo e enriquece a formação de qualquer ator. Depois falo mais sobre essa experiência.
Por enquanto, deixo um vídeo para vocês se deliciarem.
Beijos!



Por Cris Araújo

domingo, 24 de maio de 2009

Na ponta --- letra p

.................................................................................
Pa
Palco italiano: Palco retangular comum a quase todos os teatros. Tem forma de caixa aberta à frente da platéia, em geral com um comprimento em profundidade de três quartos em relação à boca de cena, medida a partir da linha da cortina. É provido de moldura (boca-de-cena) e cortina (pano-de-boca), e um espaço cênico limitado lateralmente por bastidores e por cima pelas bambolinas, além de um espaço à frente da boca de cena, chamado de proscênio, que se estende da cortina e dá um limite curvo frontal para o palco. Quando há um fosso para a orquestra, ele é um prolongamento do proscênio.

Palco giratório: Plataforma circular sobre a qual são colocados todos os cenários de uma peça ou de um ato, e que se faz girar a cada mudança de cenário.

Pano de fundo:Também chamado rotunda. É a tela que fecha ao fundo o espaço cenográfico, quando não há ciclorama ou quando se deseja encurtar o espaço cênico.

.................................................................................
God bless,
Melissa Malard.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Como era fácil o meu teatro (por Guido Conrado)

Quando comecei a fazer teatro em minha igreja - já contei essa história algumas vezes - era um adolescente. Nunca havia feito qualquer curso, nem costumava ir ao teatro. Minha única referência era o grupo de teatro da Mocidade. Aproximei-me da líder e pedi para participar. Na primeira vez que entrei em cena, pareceu-me fácil demais atuar, parecia que eu tinha feito aquilo a vida toda. Será que eu havia nascido para isso? É uma possibilidade.

Mas, reavaliando a situação, vejo três possíveis razões para o ocorrido. A primeira se confirmou nos anos seguintes, quando, com apenas 16 anos, assumi a liderança daquele mesmo grupo que havia me iniciado. Fui fazer o profissionalizante em teatro e, mais tarde, a faculdade de Artes Cênicas. Talvez eu tivesse nascido mesmo para aquilo. A segunda razão, sem sombra de dúvida, era a minha arrogância de adolescente, que considerava possível fazer qualquer coisa que eu quisesse, sem medir as dificuldades e sem medir meus desejos com as reais condições apresentadas pelas circunstâncias. A terceira e definitiva é que o teatro que se fazia ali não era realmente difícil.

A gente, ao menos eu, nem sabia muito ao certo o que era teatro, não havia muitas referências em nosso meio. Era tudo muito novo.

Passados alguns anos, é difícil encontrar uma igreja que não tenha algum tipo de “ministério” artístico, de dança, de esquetes, de evangelismo com teatro ou coisa assim. Basta colocar “teatro evangélico” no Google para encontrar mais de dezessete mil entradas e no Orkut pode-se encontrar mais de mil comunidades sobre o tema. Veja só, tomando uma média do número de participantes dessas comunidades, e já considerando o fato de que um mesmo sujeito pode participar de mais de uma, ou de quase todas as comunidades ao mesmo tempo, dados esses “descontos”, teremos cerca de quinhentas mil pessoas interessadas no assunto “teatro evangélico” (não estamos nem considerando a dança...). Ou seja, poderíamos dizer que quase 2% do total de brasileiros que, segundo o IBGE, se professam protestantes têm algum tipo de interesse prático por teatro na igreja.

Mesmo considerando a imprecisão dos meus dados, fica claro que os números mudaram substancialmente. Não se trata de nenhuma novidade mais. Espanta, porém, saber que independente disso, não fazemos hoje um teatro melhor do que fazíamos há vinte anos. A impressão que temos, inclusive, é a de que teatro continua sendo uma coisa tão fácil – mas tão fácil - tão “natural”, que qualquer um pode fazer. Basta não estar “ocupado” com outro ministério naquele mesmo período ou horário. Fácil, inclusive, de ensinar, pois quase todo grupo teatral evangélico ministra oficinas a outros grupos ou igrejas (mesmo que nenhum integrante do grupo tenha qualquer formação específica).

Não são poucas as pessoas que começaram a trabalhar comigo na igreja e depois desistiram de fazer teatro. Se essas pessoas identificaram em outros ministérios a oportunidade de crescer e servir a Deus, não considero sua desistência uma perda. Foi, no máximo, uma descoberta. Mas uma coisa eu garanto: ninguém ficou por achar que fazer teatro fosse a coisa mais fácil, menos penosa, menos comprometida de todas. Ficaram somente os que entenderam que valia a pena pagar o preço. E foram muitos os que ficaram. Nunca chegaram a ser a maioria, mas nunca deixaram de ser muitos.

Parece que há um contingente bastante expressivo de “fazedores de teatro” em nossas igrejas, que não quer, contudo, qualquer tipo de comprometimento com “a trabalheira que dá” fazer teatro de um modo sério e maduro. É muito comum que nossos trabalhos sejam conduzidos de forma extremamente improvisada e que o compromisso dos integrantes de uma peça de Natal, por exemplo, com o "ministério da igreja", não vá além daquele trabalho episódico. Não há crescimento, porque não há continuidade.

O velho modelo – o do teatro fácil, que fazíamos em minha adolescência – se tornou a referência definitiva para as artes dramáticas no meio da igreja. Difundido por irmãos missionários, muito bem intencionados, mas muito pouco preparados e, ainda, nada interessados em pensar as linguagens cênicas como linguagens autônomas, o teatro virou uma coisa qualquer, um tipo de brincadeira por intermédio da qual “a gente” aproveita e fala de Jesus.

Qualquer grupo que ensaie um pouco mais e consiga fazer com que os atores falem um pouco mais alto (ou gritem – não sei a razão de se achar que atuar é sinônimo de gritar), com um punhado de figurinos mais ou menos bem confeccionados (o que nem quer dizer que sejam figurinos realmente bons) acaba por se tornar modelo e referência para os novos ministérios. Meu Deus, como pode ser que a regra - o mínimo requerido - venha a se instituir como fato de exceção?

Fico pensando o que falta em nosso meio para que o teatro que fazemos deixe de ser amador e insipiente. Não é má vontade de quem faz, não é certamente preguiça. Há muita gente disposta a dar duro por um bom trabalho. Faltam-nos, com certeza, os bons modelos.

Vem à minha memória agora o “Som do Céu”. Para quem não conhece, trata-se do melhor evento de música cristã do Brasil. É um encontro realizado pela MPC em Belo Horizonte, onde parece que o Céu se abre e aquela Música que a gente nunca consegue escutar nas rádios - porque não é suficientemente fácil de vender, ou porque não se vende de modo suficientemente fácil - se materializa em grupos, bandas, cantores, solistas, coros, etc. Um jovem músico que vá ao “Som do Céu” nunca mais poderá alegar ignorância, nunca mais vai poder dizer que não toca melhor por não saber que exista um melhor a ser tocado.

Precisávamos de um “Som do Céu” do teatro, talvez. Um lugar que não ofereça apenas oficinas de interpretação, cenografia, dança, etc., mas que faça “o pessoal” ver como é “teatro de verdade”. Isso não existe ainda.

Nossos encontros não estimulam o senso crítico, não “obrigam” o povo a pensar sobre o teatro como o simples dedilhar na viola de um João Alexandre nos obriga a pensar sobre a música, sobre a arte e sobre a vida inteira. Nossas oficinas de teatro e dança se assemelham a shows de variedades - para os quais acorre uma audiência ingênua, ansiosa por aprender um novo truque que possa ser repetido na sua própria igreja (dois ou três movimentos coreográficos novos, uma nova forma de fazer cicatriz com maquiagem, um exercício novo de relaxamento ou de impostação de voz). No lugar da reflexão, estimulamos a mimesis e depois queremos saber a razão porque fazemos um teatro tão ruim.

A igreja precisa de boas referências. Alguém se habilita?

Guido Conrado é mestre em Filosofia da Arte e Estética pela PUC-Rio, Coordenador do Bacharelado em Artes, com Habilitação em Figurino e Indumentária do Senai-Cetiqt, professor de Estética e História da Arte na mesma Instituição e autor da obra “Cinco Pães e Dois Peixes – Dons e Talentos No Ministério Teatral”. Trabalha há mais de vinte anos com teatro em igrejas e é membro da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Rotina



De manhã cedo quando a gente acorda
Levanta da cama e faz tudo igual
E a rotina sem pedir licença
Começa ditar suas regras sem dó
A alegria da gente se vai
A vida é só palidez
Disposição é o que resta pra gente ter

Mas quando Jesus entra
Na história da rotina
Coisas velhas se tornam novas
A cada manhã
Jesus dá cor a vida
Jesus dá vida à vida
Jesus é a razão de ser

A gente pode acordar de manhã E viver uma vida bem diferente
Seguir em frente
Olhar para Cristo
E esquecer-se das coisas que ficam pra trás
Ele promete renovar as forças
Daquele que n'Ele esperar
E assim voar como águia
Correr e não se fadigar

Só quando Jesus entra
Na história da rotina
Coisas velhas se tornam novas
A cada manhã
Jesus dá cor a vida
Jesus dá vida à vida
Jesus é a razão de ser

Jesus, razão de ser feliz
sem Ele não há razão e nem viver

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Na ponta --- letra l



..................................................................................

L

Luz de ensaio: Também dita "luz de serviço". Iluminação ordinária do palco, usada durante os ensaios, as montagens de cenário, ou quaisquer atividades fora do horário de espetáculo. Quando é uma única lâmpada é chamada sentinela.
..................................................................................

God bless,
Melissa Malard.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Adoração pura, sem mistura!




Onde você tem se espelhado para aperfeiçoar os dons e talentos que Deus te deu?
Será que seus heróis morreram de overdose?
Que seu herói seja o Espírito Santo de Deus querido, que te enche, te dá poder e capacita para toda obra do santuário. Que nossos levitas sejam puros, separados, firmados na Rocha... Obreiros aprovados que não tem de que se envergonhar, que manejam bem a palavra da verdade. Não ofereça animal impuro no altar de Deus. Que seu sacrifício seja agradável e santo. É impossível servir a dois senhores. Sansão guerreava contra os inimigos de dia e à noite "dormia com eles". Acabou cego e fraco. Não estou falando apenas sobre escutar música secular, mas, principalmente, sobre pegar influências lá fora e trazer para dentro da igreja! Se o Senhor te chamou para ministrar artes (seja música, teatro, dança) na Casa Dele, não busque inspirações em outro lugar que não seja a presença de Deus. Joelho no chão ministros! Não copie arranjos, passos, peças ou qualquer manifestação artística do mundo! O Deus Criador te fez à imagem e semelhança Dele, derramou unção, criatividade e dons preciosos sobre você. Não precisa recorrer à dons distorcidos pelo deus desse século para criar algo ousado e realmente bom. Você tem a vida de Deus em você e isso faz toda diferença! Se posicione! Seja um ministro cheio de Deus, excelente, canal de bênção e transformação na vida das pessoas. Que nunca falte unção sobre tua cabeça e que, mesmo quando a música parar de tocar, até seu silêncio continue ministrando. INTIMIDADE!

Leia Êxodo 36.1

Por Cris Araújo

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Na ponta --- letra i



..................................................................................

I

Iluminação. Conjunto de equipamentos e técnicas para iluminação fixa e móvel do palco. As duas principais estruturas envolvidas com a iluminação são as varas (suporte transversal onde são fixados os holofotes) e a ponte, passarela ou varanda, colocada junto à vara de iluminação para trânsito do técnico de iluminação. Visíveis para quem está no palco, ficam ocultas da vista do público pelas bambolinas.

..................................................................................God bless, Melissa Malard.

terça-feira, 28 de abril de 2009


Há algum tempo comecei a estudar teatro em uma escola secular, enquanto AINDA não há nada profissional no meio cristão, para aperfeiçoar minhas técnicas e oferecer excelência ao Reino de Deus.
Uma das matérias que eu tenho no curso é História do Teatro. Gente... A cada aula está mais difícil me conter! O mundo espiritual é tão real e os planos de Deus são tão grandes!
Na última aula meu professor estava falando sobre Aristóteles, o primeiro filósofo que estudou a fundo o teatro. Para o filósofo, a arte teatral tinha a função catártica, ou seja, tinha a capacidade de purificação das pessoas. Segundo ele, enquanto o drama se desenrolava, elementos abordados na peça (drogas, prostituição, adultério etc.) iam despertando interesses no público e ajudando-o a entender sua própria vida.
Denis Diderot, filósofo francês, achava que um malfeitor se purificava dos seus fantasmas vendo uma peça que retratasse seus próprios conflitos. Assim ele poderia entender suas transgressões e ser curado ali mesmo, apenas ao assistir um espetáculo.
Será que vocês estão comigo? Dois filósofos, não cristãos, afirmaram que o teatro tem a função de purificação. Quanto mais nós, líderes e integrantes de grupos de teatro cristãos,devemos crer nesse impacto e transformação! Primeiro porque temos a vida de Deus e o poder Dele habita em nós. Segundo porque a obra é do Espírito Santo e, se Ele está presente, as coisas acontecem! Pessoas não são apenas “purificadas”, mas totalmente libertas e curadas!
Outra coisa bacana que foi falada na aula... Nas tragédias gregas, suas personagens cometiam o que chamamos de Hýbris, uma trangressão, um excesso, algo que extrapolava os limites normais de uma sociedade. Vemos o exemplo de Medeia, que matou seus próprios filhos, Rei Édipo que matou seu pai e casou-se com sua mãe... Culpados à parte, o interessante é que as tragédias são caracterizadas por serem um “beco sem saída”. A pessoa que cometia algum delito amargava sua transgressão até o fim da vida. Tragédia é caracterizada por não ter solução! E pasmem com a frase que saiu da boca do meu professor, que se diz ateu: “na tragédia não há possibilidade de REMISSÃO dos PECADOS”. Uhuuuuuuuu! Quase gritei um aleluia no meio da aula! Aí está a grande diferença entre o teatro secular e a nossa arte gente! Nós temos a solução! E a solução é JESUS CRISTO, que morreu na cruz para remir todos nossos pecados, até mesmo os mais cabeludos! Quando Ele entra na história, até o assassino mais perigoso, a mulher mais impura, o pecador mais sujo se torna LIMPO, SANTO e PURIFICADO pelo sangue poderoso de Jesus, derramado na Cruz do Calvário por mim e por você.
Que você possa vibrar com essa realidade e perceber a responsabilidade que o Senhor confiou a nós, ministros de arte!
Deus te abençoe!

Por Cris Araújo

domingo, 19 de abril de 2009

Na ponta --- letra g

..................................................................................
G
Galeria: A parte mais alta do auditório, situado acima dos camarotes, com bancos contínuos para os espectadores. Como os camarotes, acompanha as paredes laterais e de fundo da sala de espetáculos.
..................................................................................

God bless,
Melissa Malard.

terça-feira, 14 de abril de 2009

"As Lavadeiras" - Fonte de Expressão

Ministração do nosso grupo, no Acampamento da Mocidade IBFE.
A filmagem está um pouco amadora, mas dá pra ver. São 3 lavadeiras, na beira do rio, contando histórias sobre os Valentes do Rei Davi . O retorno do público foi bem positivo. Glória ao único Deus, que nos capacita, unge e é o verdadeiro artista dessa história...
Cris Araújo


segunda-feira, 13 de abril de 2009

Na ponta --- letra f


..................................................................................
F
Fosso de orquestra. Espaço localizado à frente do palco, em nível mais baixo, destinado ao posicionamento da orquestra. Muito comum em teatros que encenam óperas ou grandes musicais. Pode ser também uma parte mecanicamente móvel do palco, que pode ser baixada quando necessário para abrigar uma orquestra e alçada novamente para as representações comuns.

Fosso do palco. Espaço sob o palco, ocupado por alguns equipamentos como o elevador do fosso da orquestra, escada para o alçapão, entrada para o local do ponto, equipamentos para efeitos de fuga ou aparição em cena, etc.
..................................................................................
God bless,
Melissa Malard.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Nosso site!

Olha que TUDO gente:
O site do Fonte de Expressão ficou pronto!
O link é: www.fonteeterna.com.br/fontedeexpressao/
Lá você encontra fotos, testemunhos, nossa programação...
Aos poucos vamos enriquecendo o conteúdo, para abençoar sua vida.
Dá uma passada lá e confira a novidade.
Excelência ao Deus excelente!
Ah... Entre em contato para dar sugestões ou nos convidar para ministrar em sua igreja. Vai ser uma bênção!

Beijos.
Cris Araújo.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Na ponta --- letra e


.................................................................................
E

Espaço cênico. Área do palco ocupada com a representação. Divide-se primeiramente em direita e esquerda, conforme a visão do público. A direita alta é o canto superior da cena do lado direito; direita baixa é a parte inferior da cena do lado direito. Aplica-se simetricamente a mesma divisão ao lado esquerdo.
.................................................................................

God bless,
Melissa Malard.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

terça-feira, 24 de março de 2009

Na ponta --- letra c; iniciando ci e co


..................................................................................
Ci, Co
Ciclorama. Tela no fundo do cenário, curva para efeito de perspectiva, ou plana para retro-projeção. Pode ser um painel pintado, de pano ou madeira, com paisagens, jardins, ruas, praias e mar, horizontes montanhosos, etc. São comuns cicloramas mostrando como fundo de cena um terraço, principalmente para as tragédias; uma praça pública para uma comédia, e uma paisagem bucólica para cenas campestres. Quando se deseja um fundo neutro, possui uma cor única: branca, preta ou cinza. Uma paisagem retro projetada que se move cria a ilusão de deslocamento dos objetos do palco.

Cortina. Peça, geralmente em tecido, que resguarda o palco. Abre e fecha nas mudanças de ato, e ao fim ou início do espetáculo. Movimenta-se lateralmente, ou sobe e desce por mecanismo apropriado. Também chamada em teatro de ‘pano-de-boca’ e "cortina de boca". Está situada logo atrás da moldura ou boca-de-cena.

Coxia. Seu significado ordinário é de passagem estreita. Nos palcos de teatro, emprega-se para designar a passagem entre os bastidores, para a entrada em cena do ator, ou de onde os que não participam da cena podem observa-la sem serem vistos pelo público. Por extensão, também o espaço estreito ou corredor situado imediatamente atrás dos bastidores.
..................................................................................
God bless,
Melissa Malard.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Semiologia - CENÁRIO e ACESSÓRIO

Cenografia é um tipo de signo externo. O cenário pode ser definidor de características regionais, de nível social, de estilo de decoração... Uma lareira no cenário nos remete a um clima frio. Um lustre vultuoso nos deixa entender que não se trata de uma residência de baixo poder aquisitivo. E por aí vai... A decoração nos diz se o contexto é moderno, rústico, simples, requintado.
Já o acessório em cena pode formar a cenografia ou não. Um chapéu pode ser figurino ou cenário. Uma cadeira pode ter a função de móvel ou ser usada como cenário (foto). Algum elemento do figurino nos dá signos de comportamento (rebeldia, malandragem) região ( nordeste, sul) religião (catolicismo, candomblé, protestantismo), época etc. Até mesmo a cor dos figurinos dá "pistas" importantíssimas ao público. Mas claro que isso depende do contexto e da cultura onde o espetáculo está inserido. Ao levar um espetáulo para o Japão, por exemplo, uma cor pode não ser percebida da mesma maneira que nós, da cultura ocidental, percebemos. Quem está de luto, na cultura oriental, não usa preto, mas branco ou amarelo.
O cenário pode ser usado a nosso favor, enriquecer muitíssimo uma cena e reforçar uma intenção. Porém, mais uma vez fica o alerta: cuidado para não dar leituras equivocadas ao público. Pesquise, estude e use com propriedade esse recurso.
Deus abençoe.
Por Cris Araújo

quarta-feira, 18 de março de 2009

Na ponta --- letra c; iniciando ca, ce

.................................................................................

Ca, Ce

Caixa do palco. Parte do edifício teatral que contem, além do palco propriamente dito, dependências anexas como camarins, espaços de manobra de mecanismos, depósitos de materiais para os cenários da representação em curso, além de um porão.

Camarim. Recinto reservado, próximo ao palco, onde os atores se vestem e se maquilam para a cena, ajudados pelos técnicos das áreas respectivas.

Cenário. Conjunto dos diversos materiais utilizados para criar o ambiente e a atmosfera própria na representação do drama. Compreende painéis, móveis, adereços, bambolinas, bastidores, efeitos luminosos, projeções, etc.

Cenário de gabinete. Cenário de interiores limitados por paredes com portas e janelas, mobiliados como escritórios ou cômodos de uma casa ou apartamento. São ditos "cenários realistas" por reproduzirem no palco o ambiente real em que se passa o drama.
.................................................................................
God bless,
MelissaMalard.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Semiologia teatral - ILUMINAÇÃO




O que é iluminação em teatro? Além de - obviamente - clarear, a luz possibilita criar diversos efeitos. A iluminação tem o poder de criar ambiente e definir emoções. Quando trabalho duas épocas (passado / presente) é legal usar duas cores para separar os dois contextos. Pode-se, de repente, usar focos de luz no rosto de cada personagem em cena, para fazer uma separação ideológica. Ou posso, inclusive, colocar cor na luz (filtros, que chamamos de gelatina, que são colocados em frente ao refletor). Essa estratégia pode ser usada para criar um clima, como no caso de um espetáculo que retrata o nordeste, dando à cena uma nuance vermelho-terra. Às vezes o inverso – black-out total – pode ser extremamente necessário para mudança de cena ou para uma surpresa ao público. Posso usar um aparelho que se chama gobo, uma chapa vazada inserida dentro do refletor de luz, e projetar a figura que eu quero. A sombra de uma árvore projetada ao fundo do palco, por exemplo. A luz pode ser um divisor de hierarquias, pode ilustrar autoridade de um determinado personagem ou reforçar uma relação (o pai ditador bem ao centro da cena e a família submissa em volta). Enfim! Uma série de efeitos pode ser obtida se soubermos lançar mão dos recursos certos de iluminação. Se você tiver a oportunidade de pesquisar mais sobre o assunto, se tiver espaço e grana para investir em iluminação em seu ministério (melhor pra Deus né galera!), certamente seus espetáculos serão muito mais ricos e impactantes. Que você tenha excelentes idéias, sendo iluminado antes de tudo pelo Espírito Santo de Deus.

Por Cris Araújo

quarta-feira, 11 de março de 2009

Na ponta ---letra b


..................................................................................
B
Bambolinas. Faixas de pano ou placas de madeira verticais suspensas transversalmente sobre o palco, destinadas a ocultar dos espectadores os equipamentos de iluminação, as varas de sustentação e o trabalho dos técnicos nas estruturas elevadas durante a representação, e o topo do pano de fundo ou rotunda.

Bandô. Faixa de pano franzido ou peça de madeira que esconde o trilho ou vara que sustenta a cortina da boca de cena. Geralmente franzida, é também chamada lambrequim, por lembrar a barra de madeira recortada em desenhos que tinha esse nome, e era usada como ornamento no beiral dos telhados antigos.

Bastidores. Pares de painéis verticais retangulares, de madeira e pano, que escondem do espectador as dependências laterais do palco. Oculto pelos bastidores o ator aguarda seu momento de entrar em cena. São também chamados pernas.
..................................................................................
Até breve,
MelissaMalard

terça-feira, 10 de março de 2009

Na ponta --- letra a


Creio que todo profissional de teatro deveria ter um caderninho com as seguintes anotações:
.......................................................................................................
A
Abertura. O mesmo que boca de cena. Sua dimensão longitudinal é o rasgo da boa de cena.

Alçapão. Tampa no chão do palco que comunica com o porão. É utilizado para desaparecimento de atores ou de objetos principalmente em números de mágica conduzidos no palco.

Amarração. Fixação dos painéis do cenário por meio de cordas, sarrafos, grampos e outros meios, para dar firmeza e segurança às estruturas.

Americana. Sofita de estrutura reforçada para suportar suspensões (cenários ou cortinas) de maior peso.
..................................................................................
Em seguida, tem mais.. Aguarde!
Melissa Malard.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Semiologia Teatral (a série)


Semiologia é o estudo dos símbolos ou signos. Tudo em teatro é signo! Sons, um tipo de comportamento, um tipo gestual... Cada coisa em teatro tem, ou deveria ter, um por que. Os signos podem ser naturais (suor = calor, fumaça = fogo, água do céu = chuva) ou artificiais (uma voz específica, uma roupa usada intencionalmente para caracterizar um determinado personagem, por exemplo). Trabalharemos aqui os signos visuais e auditivos.
O primeiro signo auditivo do teatro é a palavra. O tom da voz, por exemplo, vai passar o significado que eu desejo. Até a disposição cênica dos personagens é determinante, pois estabelece relações, cria ambientes, climas...
Os signos podem ser exteriores ( música, ruídos, maquiagem, figurino...) ou interiores ( máscara facial, gestos, postura, movimentação em cena...). É importante dizer que os signos interiores dependem do ATOR.
Todos símbolos devem ser trabalhados cuidadosamente para não darmos leituras equivocadas ao público.
Neste primeiro contato, eu pretendia apenas situar você no assunto. Em breve falarei mais sobre cada aspecto em particular. A série de Semiologia será dividida, ao longo das postagens, por espaço (tipos de palco e as movimentações adequadas para cada um), iluminação ( focos, divisões psicológicas...), figurino, cenografia, acessórios... Essas informações são fruto de uma oficina de direção riquíssima que eu fiz com um cara muito fera, premiadíssimo... É um conteúdo bem legal e útil. Aguarde!

Deus te abençoe.

Por Cris Araújo

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Quem disse que o palhaço não chora !?


2 Coríntios 4:15-18 Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus. Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia.
Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

Às vezes, ministro(a) da arte, nos vemos sem saída. Nós que pregamos a palavra de DEUS a todo tempo, que esforçamos para que as expressões faciais sempre tragam o amor de DEUS registrado em nós. Que sempre levamos a alegria do Senhor e dizemos que ela é a nossa força. Que exultamos quando almas se convertem a DEUS. Que damos sempre um sorriso largo àqueles que necessitam.
AH..... Agora, falo da tristeza. Do choro contido. Das feridas. Do coração pequenino. Da alma angustiada.
Essa passagem mostra o cuidado de DEUS para conosco. Como Ele quer que mudemos para a glória DELE. A nossa dor não pode ser observada. Temos que buscar aquilo que nos dá esperança. Ele sabe que mesmo quando dá tudo errado para nós, temporariamente... A luta é para que cresçamos... Temos que caminhar pra frente, olhos pro alto... Vamos que vamos, guerreiro(a) de CRISTO. Que possamos ser fortalecidos em DEUS e que ELE possa terminar a boa obra em nós. Atribulados, mas nunca desanimados.Guarde isso com vc.
Até breve,
Melissa Malard.


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Dica bacana!


Queria compartilhar o link de um site bem legal, com dicas de espetáculos, oficinas e mostras com entrada franca ou a preço popular.

Se você mora em BH, vale dar uma conferida : http://www.guiaentradafranca.com.br/agenda.php


Por Cris Araújo


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Vento do Espírito


"O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito." JO3.8.

Como é maravilhoso sentir que a gente está no centro da vontade de Deus... É uma sensação inexplicavelmente deliciosa, de estar fazendo a coisa certa, vivendo o tempo certo, no lugar exato que você deveria estar! De um tempo para cá aprendi uma coisa... Após relutar muito com minha ansiedade, comecei a "buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua justiça" e, de uma forma sobrenatural, as coisas começaram a se descortinar. As bênçãos começaram a me alcançar, somente pelo fato de eu estar TENTANDO descansar em Deus. Eu costumo dizer que não tenho mais sonhos pessoais... Tudo que eu tenho conquistado, Deus me deu... Ultimamente eu só tenho enxergado os sonhos Dele para mim e somente esses que eu quero realizar. Que bom que somente os mesmos jamais se frustrarão, não é verdade? Quando eu decidi tirar do trono o meu ego, o meu achômetro, o meu jeitinho para as coisas, o Senhor teve liberdade para tomar o lugar que é Seu e agir em meu favor. Descanse no Senhor querido... Ele fará o SOBRENATURAL em seu ministério! Eu creio! Apenas se posicione diante de Deus, firme-se na rocha que é Jesus e permita ser conduzido pelo vento do Espírito Santo.
Você precisa crer! Sem fé é impossível agradar a Deus. É através da SUA fé que Deus irá entrar e manifestar Seu poder. Não importa quem você seja, quão grandes são seus sonhos...Deus escolhe as coisas fracas para manifestar sua glória. Ele não chama os capacitados, mas CAPACITA os seus chamados. Se Deus te escolheu querido, ELE fará de uma maneira tão perfeita que nem você poderá acreditar. Nosso Deus ama escrever lindas histórias com nossas vidas...
Entenda esta verdade e renove sua mente agora: Deus não atende necessidades. Deus atende FÉ!

Que o Senhor te abençoe.

Cris Araújo

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

VAC 2009

O Verão de Arte Contemporânea 2009 está em sua 3ª edição e nesse ano, ampliou muito seu quadro de artistas participantes e parcerias com a cidade.
Em 2009, Belo Horizonte terá uma programação que ocupará diversos espaços culturais como o Teatro Francisco Nunes, Teatro Marília, Teatro Invertido, Grande Teatro do Palácio das Artes, Centro Cultural da UFMG, Fundação de Educação Artística, Galpão Cine Horto, Zap 18, Caixa Clara, Espaço Odeon, Espaço Ambiente, Usiminas Belas Artes Cinema, Museu de Arte da Pampulha, sala Humberto Mauro, somando um grande número de artistas mineiros que estarão em cartaz no meses de janeiro e fevereiro de 2009.

Para os próximos fins-de semana (6,7,13,14 de fevereiro), a VAC apresentará:

TEATRO INVERTIDO

EXPERIMENTO 5!NCO / Mostra Experiências Cênicas em Processo

Data: 06, 07, 13 e 14/02
Local: Sede do Grupo Teatro Invertido
Horário: 20h
Duração: 2h
Classificação: 14 anos

A partir da pesquisa “Ator Invertido – Cinco Sentidos para a construção da cena” orientada pela diretora Cida Falabella e pela dramaturga Nina Caetano, os cinco atores do grupo foram deslocados de suas funções habituais e incumbidos de experimentar a direção cênica e a composição dramatúrgica. EXPERIMENTO 5!NCO apresenta as cinco criações desenvolvidas que tiveram como ponto de partida temático os cinco sentidos humanos.

Programações:
Sexta-feira(06/ E 13/FEV.) serão apresentadas: [DIÁLOGO INTERROMPIDO], [ESSÊNCIA] e [FALSA OCORRÊNCIA].

Sábado(07/e 14/FEV.): [ESTADO DE COMA] e [RE-VELAR].

Ficha técnica: = Orientação em Direção: Cida Falabella + Orientação em Dramaturgia: Nina Caetano + Atores /Pesquisadores: Camilo Lélis, Kelly Crifer, Leonardo Lessa, Rita Maia e Rogério Araújo + Desenho de Som: André Veloso + Foto: Daniel Protzner.
ENTRADA FRANCA. Realizado com os benefícios da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Mais info: 3227-7331 ou 3221-6200 ou ainda pelo e-mail: vac2009@oficcinamultimedia.com.br

Buscai conhecimento para um DEUS excelente.


Até breve,

Melissa Malard.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Tempo de colher




"Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa" JO 4.35


Ontem foi meu primeiro dia no Carisma - Seminário Teológico da Igreja Batista da Lagoinha - e já recebemos uma palavra maravilhosa, mostrando um pouco sobre o que vai significar aquele tempo ali. Já postei este texto no blog da mocidade da minha igreja, mas gostaria de compartilhar aqui também, por ser uma palavra abençoada para qualquer ministério.
A Bíblia nos assegura que os campos já estão brancos. A colheita está pronta!
Quando um campo de feno está branco significa que é tempo de colher.
A bíblia já está completa! Deus já fez o trabalho perfeito. Deus criou o homem, nos teceu de maneira tremenda e especial e tem um propósito para cada um de nós. Mesmo com o erro do homem, o Pai planejou seu resgate enviando seu único filho. A obra está completa! Jesus já morreu, ressucitou e foi exaltado. O trabalho duro já foi realizado... A terra está pronta, cabe a nós somente COLHER!
O versículo também nos chama atenção para outra preciosidade. Jesus nos dá uma ordem: LEVANTAI os vossos olhos! Pessoas se cansam quando olham para o próprio umbigo, para as próprias necessidades e interesses. ERGA seus olhos. Passe deste nível, olhe MAIS alto, interesse-se por outras pessoas, pelas necessidades dos outros! No versículo 34 do mesmo capítulo, Jesus diz que " A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra". Ou seja, aquilo que nos fortalece, sustenta, alimenta é fazer a vontade do Pai. Quando realizamos a obra do Senhor ELE nos fortalece, trata, cura e capacita.
Não é tempo de se calar. Multidões estão esperando que você fale, que dê de beber, que diga que Seu Jesus salva, cura e batiza no Espírito Santo! O mundo está clamando e Deus diz: " Será que terei que fazer as pedras clamarem para meus pequeninos serem alcançados?".
A seara é grande, mas poucos os ceifeiros. Não pare agora. Prossiga! Deus conta conosco.


Levantai os vossos olhos...

Por Cris Araújo

sábado, 31 de janeiro de 2009

Elogios! Você à prova!


Clarissa von Uhlendorff - escultura em papel arche (papier marche)

Definição : Elogio é o enaltecimento de uma qualidade ou virtude de algo ou de alguém, segundo o Wikipédia.

A Bíblia se refere a um teste em Provérbios 27:21:“O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o que prova o homem são os elogios que recebe.”
Todos gostamos de receber cumprimentos e aprovação, mas você permite que isso o leve a “ter de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter”?
Como diz Romanos 12.3, tem-se um modo seguro de evitar isso: cultivar um espírito humilde, como a Bíblia ensina. Sustente um coração humilde. Há algo de terno nas pessoas humildes, aquelas que não dão importância às “manchetes”. “O orgulho do homem o humilha, mas o de espírito humilde obtém honra” (Provérbios 29.23).

Por outro lado, há pessoas que precisam ser elogiadas e reconhecidas não para a vaidade mas para a sua aceitação. Para acreditar que aquilo ou elas são mesmo queridas. Particularmente, é uma área que DEUS está tratando em minha vida.
Todavia, a Bíblia também tem resposta para tudo, não é mesmo? E para essas pessoas, digo, que Jesus nos escolheu e assim, somos Especiais (com E maiúsculo).

Uma amiga do Ministério um dia me contou que a gente não precisa mudar o nosso humor quando recebemos uma resposta ou uma atitude ruim de outra pessoa. Não podemos mudar a nossa maneira santa de viver por causa do outro. A sabedoria tem que nos acompanhar em todas as situações. A mesma coisa digo pro elogio. Não podemos basear nossa felicidade quando formos aprovados ou até mesmo quando se busca o reconhecimento do ser humano.

Temos que agradecer porque isso, exclusivamente, vem de DEUS. E ponto final.

Que você seja sempre aprovado por Deus.

Até breve,

Melissa Malard.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Tá afim de ser excelente?

Respeitável público!
Apresento a vocês o trabalho do artista Marcos Casuo, único palhaço brasileiro a participar do "Cirque du Soleil".
E aí ministro das artes?
Você pode dar mais pro Seu Deus?




Mais um:



Postado por Cris Araújo

domingo, 25 de janeiro de 2009

Dica de livro


Quero indicar um livro muito bacana chamado " 5 pães e 2 peixes - dons e talentos no ministério de teatro" do Guido Conrado, mestre em Filosofia da Arte e Estética, teórico de teatro, diretor e dramaturgo. O livro fala muito sobre o que eu creio e tenho buscado para meu grupo de teatro em si e para - acima de tudo - o Reino de Deus como um todo.
Excelência e boa arte!
Chega de despreparo e falta de julgamento crítico dentro das igrejas. Eu creio ser possível enriquecer o conteúdo das nossas ministrações, tanto do ponto de vista teológico quanto do estético, e oferecer MUITO MAIS ao único que é digno dos nossos dons e talentos!

Termino com um texto extraído do livro:
"O desejo fundamental e norteador desta obra é o de que você, leitor, seja de alguma forma estimulado a uma prática artística rica tanto no que diz respeito ao conteúdo teológico das Escrituras quanto no rigor da especulação estética. Que nossas igrejas se encham de arte, que nossa arte se encha de fé, mas que, de uma vez por todas, sepultemos a realidade de que teatro em igreja é sinônimo de algo feito por gente despreparada e visto por um público desprovido de parâmetros para exercer julgamento crítico.”

Glória a Deus por pessoas assim, que crêem e fazem diferença...
Cris Araújo.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Use a Espada!



A citação de Augusto Boal (diretor de teatro, dramaturgo e ensaísta no meio artístico brasileiro) que diz: "O teatro é uma arte e uma arma", despertou em mim a seriedade e responsabilidade em explanar ou informar, como quiserem, sobre a batalha espiritual em que vivemos.
A Bíblia é nosso manual de combate, e nela encontramos as instruções vitais de que precisamos para combater Satanás e seus dois grandes aliados, o sistema mundano e a natureza pecaminosa.Muitos crentes hoje estão perdendo a batalha na guerra espiritual porque não têm um conhecimento adequado da Palavra de Deus.

E no Ministério de Teatro isso não pode ser uma realidade. Atores, ministros de arte têm o dever de ter um relacionamento íntimo com Deus, com seus devocionais, jejuns e orações. Para quê tudo isso? Para enfrentar o desânimo, o tropeçar de um companheiro, as nossas lutas do dia a dia, seja em casa, no seio familiar, no trabalho secular, no próprio Ministério, etc...O evangelho não se vive num "mar de rosas" , porém, capacita-nos com poder, autoridade, unção e conhecimento a fim de sermos vencedores em Cristo Jesus.Um Ministério de teatro não só vive de arte mas de propagar a palavra, curar, salvar, reconciliar, e, usar suas armas para vencer a guerra espiritual. A coluna para isso é a cobertura espiritual de uma igreja e a busca individual pela palavra de DEUS.


Lembre-se: Estamos em Guerra! Avante, soldados de Cristo!


Até breve,

Melissa Malard.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Campanha de Popularização



Fique ligado na Campanha de Popularização de Teatro e Dança, que esse ano chega a sua 35ª edição.
Até o dia 8 de março em Belo Horizonte e algumas cidades do interior do Estado, como Juiz de Fora, Ipatinga e Timóteo serão 116 espetáculos em cartaz, em 38 salas diferentes, com ingressos a R$ 10.
A campanha é considerada pelos artistas e produtores como a maior vitrine das artes cênicas em BH, já que durante os dois meses do evento as salas ficam lotadas. Nesse ano, a expectativa é de atingir cerca de 350 mil pessoas para assistir as produções de teatro adulto, infantil e de dança.
Nesse ano, peças como "Pequenos Milagres", do grupo Galpão, "Rubros: Vestidos, bandeiras, batom", e "Dolores" da Miumulus Cia de Dança são alguns dos destaques.
Os ingressos podem ser comprados nos postos da Belotur, nos pontos móveis da Fiat-Sinparc e através do tele-ingresso, pelo número: 32412239.

Mais informações no site oficial do evento: http://www.sinparc.com.br/

Fica a dica...
Cris Araújo

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Poder!

Eu te desafio a levar o profissionalismo pro altar! Só assim você poderá prender a atenção do povo... A princípio podem até achar a cena forte, impactante, gerar certo incômodo(porque é inovador), mas é REAL, é verdadeiro. É isso que o Reino precisa! Verdade! Não que só técnica seja importante, mas aí que tá o nosso grande diferencial. Usar o profissionalismo juntamente com o poder de Deus e a Palavra. O que o apóstolo Paulo diz: Não vou pregar por persuasão de Palavras, mas pela manifestação do PODER DE DEUS. Vai contra o que aprendemos aqui. Estamos focando na técnica. Persuasão de palavras, saber falar, interpretar e comandar bem uma platéia. Mas se não tiver poder de Deus já era.“O FUNDAMENTO DO MEU MINISTÉRIO DEVE SER PODER DE DEUS”. Se não tiver não adianta, não tem transformação. Esse é nosso grande diferencial com relação ao teatro secular. Pode ser lindo, mas sem transformação não adianta nada. Não há frutos. O teatro do mundo é impecável, perfeito, maravilhoso tecnicamente. Mas o cara entra com a amante e sai com a amante. A mulher entra com câncer e sai com câncer. Não existe mudança... Nossa geração vai experimentar isso. A invasão dos crentes nos palcos e teatros das cidades. Nas ruas... Igrejas... EU CREIO! Os ímpios assistirão a nossas peças e sairão diferentes. O cara com amante vai ser constrangido e voltar pra mulher. As pessoas serão libertas. Elas têm que ser curadas... Tem que ser diferente conosco, gente!!!
Então te convido, a unirmos nossas forças e também estes dois aspectos: excelência com poder de Deus.
Meu exemplo de sempre é o trabalho maravilhoso (cheio da maravilha de Deus) da Cia. Teatral Jeová Nissi.
Segue um vídeo deles, para ilustrar melhor o que eu digo sobre poder de Deus com profissionalismo...




Cris Araújo

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Como manda o figurino

Encenadores marcantes da história de evolução do teatro, muito contribuíram para a evolução do papel do figurino em relação à sua criação, ao trabalho intríseco do ator e como parte fundamental da cena envolvida num plus de luzes, espaço, música e ação.

Eis aqui alguns deles:
  • Apia: O pioneiro suíço teve pouco contato prático em sua vida com o mundo teatral, embora suas idéias tenham influenciado os criadores que o seguiram. Ele percebeu os limites da encenação bidimensional e as possibilidades de se reunir as artes por meio de um jogo de luzes, formas e cores. O que ele desejava era redirecionar o teatro, trabalhando-o como uma obra de arte viva que reúne todas as outras para atingir os espectadores.
  • Bertolt Brecht: Para o alemão, nada deveria estar em cena se assim nao merecesse. A simplificação era a palavra de ordem. Uma simplifcação sofisticada, tenho dito. Se você vir um traje de uma peça de Brecht, pode até pensar que possa ser feito em casa. Porém, é sofisma. Pois, em suas criações sempre havia um planejamento cuidadoso, de meses, para que uma roupa tivesse a textura ou a cor que procurava para seus personagens. A razão disso? Está nas palavras de seu grande parceiro de cenografia: "Copiar a realidade não é suficiente; a realidade precisa não só ser reconhecida, mas também entendida". Daí, por exemplo, todo o significado da colher que a protagonista de Mãe coragem carrega no bolso de seu figurino. O traje de um personagem brechtiano não é um traje literal. É uma linguagem que a roupa fala com o homem, as memórias, as misérias, as lutas que caíram sobre ele.
  • Ariane Mnouchkine( diretora do Thêátre du Soleil): Considera os figurinos "como seus amigos". "Trate bem deles. Eles são seus inimigos se são malfeitos, se não ficam bem juntos. A pele pura é difícil de usar com máscaras", costuma dizer a francesa.

Por fim, deixo as palavras de nada menos que o ator e diretor teatral Stanislavski:

"Quando vocês tiverem criado um papel, saberão o quanto a peruca, a barba, as roupas são importantes para um ator criar um personagem. Um traje deixa de ser uma coisa simples e adquire, para o ator, uma espécie de dimensão sagrada", escreveu o russo.

Muita unção e poder de Deus.

Até breve,

Melissa Malard.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Injeção de ânimo


"Hoje em dia parece que todo mundo está desanimado e muitos estão desistindo; algo que por mais que eu tente, eu não entendo. Não me entenda errado, tem vezes em que penso em desistir, jogar tudo pro alto e fazer a minha vida do meu jeito, mas, sempre tem algo que me segura, que não me deixa fazer isso. Infelizmente, eu não posso contar o tanto de amigos ou conhecidos meus que tem deixado Jesus e voltado para o mundo. Eu cresci na igreja, então pode crer que é muito. E pra mim, não é nada mais triste do que ver alguém que teve uma “experiência” com Jesus, virar suas costas e ir embora. Tudo isso nos coloca numa posição de perguntar, “Por quê?”. Por que tantas pessoas estão decidindo deixar a fé e caminhar aonde elas sabem que vai resultar numa eternidade no inferno? Cara, isso não faz sentido nenhum."

Eu já passei por várias fases de inconstância no ministério que o Senhor me confiou. Inconstância minha e dos outros também. Por mais que saibamos que Deus é a fonte de todas as coisas - motivação, equilíbrio, força, ânimo e tudo mais - as vezes insistimos em olhar para o homem. Por mais que oremos, que busquemos, que voltemos nossos olhos para Deus, sempre tem um ranço de religiosidade que nos faz olhar para o lado. O mais engraçado é que parece que na posição de líder, meu caso, sempre esperam uma injeção de ânimo da nossa parte. Sim, um líder de verdade exorta, anima, incentiva... Não é esse tipo de "empurrão" que estou dizendo... Mas, as vezes, parece que para a pessoa estar "bem", constante no ministério, frutífera e feliz, ela depende de um incentivo constante da parte de homens... Sério! Será que não perceberam que igreja não é uma empresa e que um líder, no contexto cristão, é bem diferente de um gerente ou coordenador de equipe de vendas ? Aqui não tem premiação, não tem o privilégio de ver seu rosto estampado no quadro de funcionário do mês, não ganha estrelinha... Muito mais do que um reconhecimento por parte de homens, uma massageada no ego por parte dos superiores, seu galardão vem do Alto e, por sinal, é eterno! Nossa "meta" não é agradar o chefinho, mas tocar o coração do Pai e ganhar almas para Jesus. Almas que, se não pregarmos, passarão toda uma eternidade no inferno!
Sejamos constantes NO SENHOR, pedindo ânimo e motivação vindos DELE, para fazermos a obra. Que nossa constância não seja baseada nas circunstâncias, mas venha de algo maior. Que saibamos exatamente quem somos em Cristo e onde queremos chegar. Se o seu foco não for única e exclusivamente agradar a JESUS, nada - ministério, igreja, amigos, líder - poderá te segurar em evangelho, departamento, congregação...


"Levanta-se geração forte e corajosa e caia por terra geração frouxa, mimada e efeminada. Estamos numa guerra e tudo nem sempre vai dar do jeito que queremos. Mas ainda assim, não podemos desistir. Tem muito que Deus quer fazer através das nossas vidas e temos um galardão, uma coroa nos esperando no fim da corrida. Não desista! Lute, corra, vença! "

Que nossa força esteja em Deus, SEMPRE!

Fiquem na paz.
Cris Araújo ( com citações do Pr. Jeff Fromholz).


terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Direção de cena (um gostinho)


Já tem dois anos que o Fonte de Expressão participa de um curso intensivo de formação de atores, voltado para ministérios cristãos, em Campinas. Além das exaustivas aulas práticas - que trabalharam corpo, voz e improvisação - nós tivemos uma aula teórica muito legal sobre direção de cena. Gostaria de compartilhar alguns tópicos bem úteis que aprendemos lá...
O diretor é como um fotógrafo que analisa a imagem e verifica se a cena dá uma bela foto. Cabe a ele olhar se ator está em sua posição inicial e se, esteticamente falando, o visual está interessante. O ator, por sua vez, deve ser semelhante a uma árvore, ou seja, deve estar enraizado em sua marcação. Ele nunca poderá “sambar” de um lado para outro quando estiver atuando, pois isso fica desagradável para o público. O que não significa que não precisa ter VIDA em cena. O bom é estar fincado em sua posição, porém vivo e ágil.
Outro tema importante: é proibido ficar de costas para o público? Desde que você demonstre ação e um motivo real para isso, não é proibido. Se houver verdade em cena, movimentos lógicos, bem amarrados e – novamente - VIDA nas costas do personagem, não há problema algum lançar mão dessa estratégia. Tudo que generaliza ou limita não serve para o teatro.
Uma dica valiosa: os sete primeiros minutos da peça são decisivos! Faça uma entrada impactante, algo meio doido, emocionante... Ou você ganha o coração do público ali no início ou perde sua atenção durante toda peça. Assim como o roteiro em si, o diretor deve ser dinâmico, ter “timing” e jamais deixar o pique da peça cair. Deve ser tipo um jogo de ping pong, bateu levou. Evite deixar lacunas e silêncios desnecessários numa cena. Fica monótono, entediante.
Depois falarei sobre a oficina de direção que eu e Josi, integrante do grupo, fizemos. Eu como sempre anoto tuuuuuuuudo, em breve compartilharei dicas bem legais com vocês...
Sejam excelentes, pois vocês servem um Deus mais que excelente!

Abraços,
Cristiane Araújo.